A influencia dos filmes de putaria (parte 2)

POSTADO POR: admin ter, 29 de novembro de 2011

Confira antes a Parte 1
Irei poupa-los dos detalhes, mas vou
dizer que essa minha primeira aventura não teve um final feliz. 
Ela ficou
revoltada quando eu a chamei de cachorra e outras cosias, e quando tentei uma
posição não convencional, ela ficou puta, disse que estava tudo acabado entre nós,
gritou que eu precisava de ajuda psicológica e foi-se embora. Não consegui
entender nada daquilo. Por um bom tempo pensei que o problema era com ela, mas
quando tive a uma nova chance de descolar uma transa, algo parecido aconteceu: A garota me chamou de nojento e perguntou que tipo de mulher eu achava que era ela. Respondi: Uma mulher fresca. Novamente me foi sugerido um psicólogo. 
Resisti à ideia durante um certo tempo, mas um cara como eu tem poucas chances de fazer sexo na vida, e até o
momento eu havia desperdiçado todas essas poucas chances. Fui ao Washington
Medical Group
 e quando entrei na sala um médico velho e careca falou:

-Me conte o que está acontecendo.

-Bem, doutor…. Eu acho que ando
assistindo filmes pornôs demais.
-Entendo. Isso tem ocorrido cada vez mais
nos últimos tempos. Como isso tem lhe afetado, meu jovem?
-Não sei ao certo. Sei que há pouco tempo
atrás minha namorada me deixou enquanto estávamos tentando fazer amor pela
primeira vez e saiu gritando que eu sou perturbado. E na semana passada, quando
estava tentando fazer sexo com a garota mais “famosa” do meu bairro, fui
chamado de pervertido e deixado na mão mais uma vez.
-E você não se recorda de nada de errado
que tenha feito com estas garotas?
-Sinceramente não, doutor. Só fiz o que
aprendi nos filmes.
-Você diria que você é rico?
-Não. Por quê?
-Se fosse, diria que é viciado em sexo e
te mandaria para uma clinica de reabilitação. Mas já que este não é o caso…
deixemos as garotas de lado por uns instantes. Fale-me destes filmes que você
costuma assistir.
-Tudo começou com uma fita que meu tio
deixou lá em casa quando eu tinha uns doze anos, foi ela que despertou a minha
paixão pelo assunto. Depois disse tive que me virar com o “cine privé” da band,
toda madrugada do sábado pra o domingo eu estava lá. Mas depois de algum tempo
aquilo parou de fazer efeito, era a mesma coisa de ver a novela das oito. Por
sorte a minha barba cresceu logo e tive acesso à parte secreta da locadora do
meu bairro, lá eu pude ver alguns filmes muito bons. Foi nessa fase que eu
descobri como diversificado o mundo da putaria pode ser.
-Continue.
-Nessa época eu comecei a perceber que eu
gostava desses filmes mais que meus amigos. Eles locavam uma fita ou outra,
enquanto eu gastava toda a minha mesada com pornografia. Eu era tão aficionado
que certa vez participei de uma promoção na locadora que se você pegasse três
filmes, teria direito a um inteiramente grátis… todos o quatros que levei pra
casa eram pornô. Comecei a receber a apelidos: bronheiro, covarde, Simas…
-Simas?
-Si Masturba.
-Nunca tinha ouvido essa. Continue com a
sua historia.
-Certo. Depois de algum tempo as fitas e
os DVDs não mais faziam efeito, eu precisava de algo mais pesado. Recorri à
internet e lá conheci os grandes filmes adultos do oriente, tornei-me fã dos
japoneses. Depois conheci os vídeos amadores russos e mais recentemente conheci
os filmes alemães. É onde estou hoje.
-E você tenta recriar com as garota tudo
que vê nestes filmes?
-Não tudo. Não tentei nem coprofilia e
nem urofilia. Tirando isso, tento sim.
-Meu jovem, sua situação é rara. O seu
comportamento é preocupante. Mas, infelizmente, não vejo como lhe reeducar. O
melhor que posso fazer é lhe indicar uma amiga minha. Quero que você a visite na
próxima quinta às oito da noite, no endereço que vou escrever neste envelope.
Não abra! Este envelope deve ser entregue a Odete, somente ela pode ler o que
eu vou escrever. Você me entende?
-Sim, senhor.
-Volte aqui na segunda-feira. Não se
esqueça de trazer a carta que Odete vai lhe dar.

COMENTÁRIOS




OBS. O campo de e-mail é de preenchimento obrigatórios, mas uma vez preenchidos não será mostrado na mensagem. Já o campo de nome é obrigatório, mas pode ser preenchido com um pseudônimo.

8 Pessoas já Comentaram

  1. Thanks for all of your effort on this website. My niece enjoys setting aside time for internet research and it’s really easy to understand why. I learn all of the powerful method you present efficient guides via the website and even foster contribution from website visitors on the theme then our simple princess is without a doubt studying a lot. Have fun with the remaining portion of the new year. You’re performing a pretty cool job.

  2. Drielle disse:

    Ahh eu quero saber! O que virá a seguir???????

  3. israel disse:

    Yuri mota, em posts desse tipo vc encontrará os links dos cap anteriores no início do post.

  4. Anônimo disse:

    Da hora hein! kkk! Escreve tudo de uma vez no próximo capítulo!

  5. yuri mota disse:

    queridao, se for fazer capitulos, tente deixar com mais conteudo. Usuarios como eu so volto a ler um blog depois de um mes e as vezes menos. Então quando volto até achar os mini capitulos é chato(acaba que so leio alguns capitolos, o 2, 5). Fico pensando se faz sentido esse post, mas eu gostei do blog e pensei nisso.
    abraço

  6. Anônimo disse:

    Meu Deus termina logo essa história….

  7. Viva. disse:

    Eu estou curiosa pra saber o que acontece.

  8. Anônimo disse:

    Eu tenho que saber, que acontece agora?